151005637_3624304577616772_7295590492854

A intolerancia religiosa e o racismo, sempre foi tema e assunto, as praticas nem se fala. Durante muito tempo foram praticadas pelo poder, sempre com a nitida intenção de dominar, impor e escravizar.

 

O caminho da intolerância religiosa e por que não dizer do racismo, teve inicio aqui no Brasil, ja na chegada da primeira caravela dos portugueses, os donos verdadeiros desta terra maravilhosa eram os índios, povos nativos, que inicialmente foram ludibriados por serem desprovidos de ambição e visão patrimonial, pois viviam em perfeita harmonia com a natureza.

 

Aos poucos os padres foram obrigando eles a renegar suas crenças e tradições, e em seguida, vieram os negros, negros africanos escravizados, e em um processo que promoveu um verdeiro holocausto negro, que de certa forma perdura até aos tempos de hoje.

 

A intolerancia religiosa e o racismo, não é doença ou patologia que deve ser tratada como caso de saude, mas sim como uma questão cultural de educação, de herança de pai para filho, uma questão cultural inrraizada na sociedade que escraviza, discrimina e marginaliza quem de alguma forma, seja ou não por estar ligado a estes grupos éticnicos.


Vejamos; é sabido por todos que se debruça sobre o assunto, que ser racista, preconceituoso e intolerantes são termos que descrevem as atitudes comportamentais caracterizadas pela falta de consciência ou vontade em reconhecer e respeitar as diferenças sociais, sejam elas de cor, raça ou crença religiosa de terceiros.

 

Pode-se avançar ainda mais neste leque de intolerância que visa escravisar, temos ainda a intolerância ideológica ou política. Ambas têm sido comuns através da história.

 

Nos dias de hoje a intolerância politica, escraviza, persegue e desqualifica e o maior exemplo disso são as redes sociais, a grande mídia impõe a visão que se você é de esquerda é bandido, e se é de direita é ditador ou qualquer das denominações e ataques comuns que pode se ver na postura radical de alguns grupos políticos.

 

Um bom exemplo de postura intolerante, racista e preconceituosa com as minorias, basta ver as ações praticadas pelos Bolsonaristas, grupo politico que deseja impor seu conceito politico que tem base de apoio nas religiões neopetencostais. Os moldes operantes são semilares a uma religião, por isto e seguindo esta analogia, pode se ver naturalmente a paridade na bancada evangelica que deseja impor seus conceitos religiosos.

A maioria dos grupos religiosos já sofreram de alguma forma perseguição, a historia nos conta com riquesa de detalhes a caminhada das religioes de brancos europeus ou de denominações fora do contesto africano e indígena.

Pois existe uma negação de valores e direitos, de reconhecimento verificado nos livros e nas escolas.

A intolerância cresce em todos as suas versões, por conta do poder de comunicação que influencia politicamente e por que não dizer no sitesma judiciario e de segurança publica, pode ser visto claramente nas inumeras prisões ilegais, espancamentos, torturas mentais e estrangulamento social que as comunidades tradicionais de terreiros sofrem. A negação de benefícios, de direitos e liberdade civil é gritante.

Os flagrantes atos de exceção de direito, praticados por agentes públicos, onde claramente praticam o confiscos de bens e destruição de propriedades que deveriam ser preservados como patrimonio cultural e in material da humanindade, na contra mão desta situação está a promoção é o incitamento ao ódio.

 

São barbáries praticadas por agentes públicos que ocupam cargos no judiciario, legislativo e executivo ou seja, os 3 poderes que deveriam a todo custo defender, preservar e garantir direitos, principalmente aos menos favorecidos e aos excluidos, que sofrem diariamente ações contrarias dos empoderado pelo poder de suas funções para impor suas convicções religiosas e politicas.

 

Diante destas e muitas outras injustiças e ações que promovem e alimentam a intolerância em varias frentes, por pura falta de cultura, educação e respeito. Então, cabe ao cidadão de bem que conciente e preocupado com o futuro dos direitos de cada irmão e irmã , deveria ver este simples texto como o inicio de uma profunda reflexão e de seu levante na luta contra a intolerância e o racismo.

 

Não podemos aceitar jamais que um grupo predominante e que possa estar momentaneamente no poder, acredite que possa impor e obrigar os diferentes e divergentes que sejam iguais.

 

Até por que a unidade é burra e leva ao genocidio.

 

Este é um assunto de ontem, que hoje deve ser debatido e criada uma frente que encontre soluções imediatas e a longo prazo, somente assim iremos avançar na preservação do direito de cada cidadão ter sua fé, sua religiosidade e por que não dizer sua visão politica ideologica, com respeito, harmoniosa e pacifica onde cada um caminhe para onde desejar.

 

E vamos em frente...Obrigado a todos por sua atenção !


ATÉ A PRÓXIMA

PAI PAULO D'OXOSSI
PRESIDENTE ABRATU